23.5.10

Inferno? Que nada!

Hora da história: “Em um belo inverno paraense, pouco antes de iniciar a pós-graduação em Games, eu estava lendo um livro intitulado “Nono Círculo” que retrata uma conspiração onde os assassinatos são inspirados na “Divina Comédia” de Dante Alighieri, e eu comecei a pensar como seria incrível um jogo que seguisse a narrativa de Dante. Fui então pesquisar para saber se existia tal game e descubro a produção de Dante’s Inferno, e dois pensamentos passaram pela minha cabeça: “que merda, era uma idéia muito boa” e “pelo menos jogarei ano que vem”

Então lançaram o jogo e meu Deus, o próprio Alighieri ressuscitou só para poder se suicidar com a visão de ter seu clássico associado a essa vergonha virtual, que se pode caracterizar apenas como levemente inspirada no livro. Vou deixar de lado aqui todas as comparações feitas em inúmeros luares entre esse título e God of War, em primeiro lugar por que não vale à pena repetir, e em segundo porque eu realmente nunca joguei GoW, por pura falta de interesse nesse jogo. Vou me concentrar em outros aspetos de Dante’s.


Arte: bom, existe uma diferença marcante na qualidade da arte dos QTE’s e o in game. Os inimigos são descaracterizados e sem inspiração, incapazes de assustar crianças ou adultos. Seu primeiro grande inimigo no demo é a morte. A MORTE!!! Se você derrota a morte a filosofia do jogo não ficaria um pouco abalada? Enfim, continuando, apesar das comparações feitas da história e da personificação do protagonista, Dante ,com Kratos, tenho que dizer que a cruz costurada ao peito deu um toque extremamente perturbador e intrigante ao astro, contudo, esse também é máximo que poderemos tirara dele. 


Gameplay: Nossa!!! Horrível!! Perdoem a revolta com o jogo, mas a frustração gerada por uma movimentação travada, sem movimentos fluidos e com uma esquiva difícil de ser bem aplicada, em um título onde derrotar um boss implica principalmente em esperar o momento de desviar e revidar, faz com que os jogadores sintam uma vontade quase incontrolável de atirar o controle na TV, algo que só traria prejuízo a você mesmo.


Vantagens: Hum!! Essa fica em aberto, talvez exista dentro das vastas horas de jogo algo que valha a pena tê-lo em sua coleção, mas como não joguei até o final não poderei garantir.

Lado bom: Ainda é uma boa idéia que espera uma execução adequada, uma trilogia baseada nas três partes da Divina Comédia, que permitam ao jogador sofrer, temer e pagar todos os seus pecados nos nove círculos do inferno, cumprir suas penitências nos sete círculos do purgatório, e se elevar até o décimo círculo celestial. Quem sabe, hein?

2 comments:

Karla said...

Eu tinha lido comentários simpáticos sobre esse jogo... :P

$ick said...

depois do bayonetta e dante's ta faltando o post do GoW 3.
eh so dizer nao me interesso pelo jogo e botar uma foto, heheh